Navegue em Diretório Empresarial - são 15 categorias e mais de 100 subcategorias com todas as empresas locais!

TURISMO

AUTOMÓVEIS

MODA & BELEZA

SAÚDE

CASA & JARDIM

PROFISSIONAIS

EDUCAÇÃO

INFORMÁTICA

FESTAS & EVENTOS

CONSTRUÇÃO

ALIMENTAÇÃO

ANIMAIS

ENTRETENIMENTO

GASTRONOMIA

HOSPEDAGEM

Florianópolis (Floripa)

Florianópolis é a capital do estado de Santa Catarina, e também é chamada de Floripa. A maior parte da cidade está localizada na ilha de Santa Catarina (veja no mapa), com apenas uma pequena parte no continente. Duas pontes ligam a ilha ao continente, mas, no momento a Ponte Hercílio Luz, um marco da cidade, está fechada para reparos. Sua abertura está prevista, no futuro, para os pedestres e ciclistas.

Floripa com o passar dos anos tornou-se um dos mais populares destinos no Brasil, para aqueles que estão à procura de lindas praias, belas paisagens, cultura interessante e pessoas amigáveis. Também teve um grande crescimento imobiliário, especialmente entre os brasileiros, dos estados de São Paulo e Rio Grande do Sul, em busca de uma melhor qualidade de vida, longe do caos das grandes cidades. Ela tem atualmente uma população estimada de 400.000 pessoas.

As praias do norte da ilha, Jurerê, Daniela, Canasvieiras, Ingleses e Brava ficam muito movimentadas durante o verão e tem muitas opções de hotéis, restaurantes e outras conveniências para o turista. As praias do leste, como Joaquina, Mole e Moçambique estão entre as melhores praias para o pratica do surf e são muito populares entre os jovens. As praias do sul, Campeche, Morro das Pedras, Armação e Pântano do Sul, são todas muito bonitas e também boas para o surf. Isoladas e intocadas, praias como a Lagoinha do Leste e Naufragados estão no extremo sul da ilha, mas só podem ser alcançado por trilha ou de barco. (Para mais informações consulte a seção Praias)

A Lagoa da Conceição Lagoa é uma famosa atração natural, e a peça central da ilha - esportes, culinária e entretenimento são de primeira classe! A lagoa é relativamente rasa, com ventos fortes, tornando-se um ótimo local para pratica de windsurfe.

História

Os índios Carijós da nação Tupi-guarani foram os primeiros habitantes da região de Florianópolis. Em 1514 os portugueses aportaram e deram à região o nome de Ilha dos Patos. Os espanhóis notando o desinteresse de Portugal pela região, investiram na conquista do Atlântico Sul e em 1526 e rebatizaram o local com o nome de Ilha de Santa Catarina.

O povoamento oficial da ilha começou em 1673 com a chegada da empresa agrícola do bandeirante Francisco Dias Velho e continuou em 1678 com a construção da capela de Nossa Senhora do Desterro. Uma vila começou a se formar, adquirindo aos poucos um aspecto colonial.

Para garantir seu domínio a Coroa Portuguesa em 1726 elevou a Ilha à categoria de Vila. A partir desta data a Vila do Desterro e o porto desterrense passou a ter função estratégica pois estava a meio caminho entre Rio de Janeiro e Buenos Aires. Por este motivo em 1738 foi criada a Capitania da Ilha de Santa Catarina e começou a ser ergido o mais expressivo conjunto defensivo litorâneo do sul do Brasil.

Com a Capitania a população começa a aumentar, porém o grande salto populacional acontece entre 1747 e 1756 com a chegada de cerca de 6.000 colonizadores procedentes do Arquipélago dos Açores e da Ilha da Madeira. Em 1823, ainda no período monárquico, Desterro tornou-se Capital da Província de Santa Catarina abrindo um período de prosperidade com muitas obras urbanas e também com uma intensa organização política.

No começo da República brasileira, elites regionais inconformadas com a centralização do governo, deflagram a Revolta Federalista. O movimento que começou no Rio Grande do Sul, espalhou-se por Santa Catarina e tornou Desterro a capital federalista da República. O então presidente do Brasil, Marechal Floriano Peixoto, conhecido como Marechal de Ferro, sufoca a rebelião. Para mostrar lealdade ao marechal foi aprovado em 1894, a troca do nome da capital do Estado, que passou de Desterro para Florianópolis, ou seja, cidade de Floriano.

Cultura

A tradição do artesanato açoriano se faz apreciar nos trançados de rede, rendas de bilro e tramóias, tapeçarias de tear e na confecção de esteiras, balaios e gaiolas. Os pratos feitos à base de peixes, moluscos e crustáceos enriquecem a culinária da ilha e do continente.

Nas danças e folguedos, os exemplos mais vivos dessa tradição estão presentes na dança de pau de fita e no folguedo do boi mamão. A literatura se enriqueceu com as quadrinhas, o pão-por-Deus, os provérbios, as cantigas e lendas.

Não podemos esquecer também do linguajar oral, marca registrada do florianopolitano e que se caracteriza por um som cantado e por uma alta velocidade de flexão de voz.

Flora

A Ilha de Santa Catarina é dona de uma biodiversidade espantosa e de muito fácil acesso. É uma rica aula de geografia a céu aberto.

Pode-se andar pelos manguezais que servem de berçário e fonte de alimentação para diversas espécies de animais, ou conhecer ambientes de Floresta Atlântica nas suas inúmeras ilhas.

A vegetação da Ilha de Santa Catarina é constituída de pastagens implantadas, vegetação secundária pioneira, capoeirinha, capoeira, capoeirões (em torno de 50% da vegetação atual), floresta secundária e floresta primária (em torno de 2 a 3% da área vegetal).

Fauna

No ambiente aquático encontram-se os moluscos (como o berbigão, mexilhão e as ostras), os crustáceos (siris e camarões), os peixes (tainha, robalo, linguado, manjuba, congrio ). Temos ainda neste ambiente os mamíferos, como as lontras, golfinhos e baleias e os répteis como jacaré de papo-amarelo.

No ambiente terrestre são mais de 30 espécies de lagartos e cobras, tais como a jararaca, a jararacuçu e a coral. Sem contar os mamíferos destacados nas espécies de gambás, morcegos, macaco-prego, coati e outros.

Em relação as aves, existem na ilha aproximadamente 170 espécies, com destaque para o Martim Pescador Verde, ave símbolo de Florianópolis.

Clima

Florianópolis apresenta características climáticas comuns ao litoral sul brasileiro, com estações bem definidas. O clima é mesotérmico úmido com precipitação significativa e bem distribuída durante todo o ano. Isso não exclui a possibilidade de chuvas torrenciais de verão e chuvas de inverno acompanhadas do famoso vento sul de Floripa.

Não existe uma estação seca. As precipitações mais elevadas ocorrem de janeiro a março e os valores mais baixos se apresentam de junho a agosto. A temperatura média varia entre 20 e 24 graus centígrados. A média das temperaturas máximas do mês mais quente varia de 28 a 31 graus e a média das mínimas do mês mais frio varia de 7,5 a 12 graus. A umidade relativa do ar tem como média anual 82% e o índice pluviométrico anual gira em torno de 1.200mm.